EB1 de MAÇAINHAS– Guarda – Portugal
Agrupamento de Escolas Carolina Beatriz Ângelo
O NOSSO BLOGUE VAI ENCERRAR, NO DIA 15 DE JULHO. FOI UM BELO PERCURSO QUE FIZEMOS JUNTOS, AO LONGO DE QUASE 4 ANOS!!!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Ó João, ficámos tão contentes!

joãoNo ano passado, o João veio para a nossa escola. Parece que na outra não se portava lá muito bem. Pelo menos da fama não se livrava.

Além disso, as aprendizagens não iam muito à bola com ele. Ler e escrever, então… que martírio!

Depois que veio para esta “escolita”, o João mudou como da noite para o dia.

Bem, o comportamento é impecável e tem-se esforçado tanto, tanto, tanto… que os resultados começam a aparecer.

O João (e outros colegas, também) participou no II Concurso de contos promovido pela Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço. O tema era “A Água”.

Apresentou uma história muito simples mas com muita qualidade. Tanta que o júri atribuiu-lhe o 3º lugar.

Que orgulho para todos nós!

O João provou aquilo que sempre dissemos: se trabalharmos muito, se nos esforçarmos conseguimos quase tudo o que pretendemos.

006
Elementos do júri e vereador da educação (ao centro).

017
Alunos de várias escolas concorreram com 85 trabalhos.

019
Três premiados e três menções honrosas.

023
O João leu, muito bem, a sua história.

025
Foi muito aplaudido…

013
… por todos!

O texto que o João escreveu

Está a chover. Que azar!

Era fim de semana. O senhor professor passou poucos deveres, a minha tia e os meus primos vinham visitar-nos, enfim… ia ser um fim de semana perfeito.

No sábado, assim que acordei, corri para a janela.

Ora bolas, estava a chover! Fiquei triste e desiludido, já não podíamos brincar e jogar futebol lá fora.

Quando a minha mãe chegou à sala, perguntei:

- Porque existe água? Porque tem de estar a chover?

- Porque a água é indispensável, sem ela não havia vida. – respondeu.

Mas a sua resposta não me convenceu. Eu queria era brincar, correr no jardim… e, para poder fazer isso, não podia estar a chover.

- Nunca mais quero ver água à minha frente! – exclamei.

Como não podíamos ir para a rua, a minha mãe e a minha tia resolveram levar-nos ao cinema.

Quando terminou a sessão e depois de comer uma tonelada de pipocas, estava cheio de sede. Por isso, fui pedir água:

- Mãe! Depressa… Água! Estou a morrer de sede!

- Água?! Mas tu disseste que nunca mais querias ver água!...

- Mas… mas assim morro à sede…

Ela sorriu, deu-me a garrafa e disse:

- Vês como ela é importante!

Como o tempo tinha melhorado, fomos dar um passeio.

Estava tudo tão bonito! O jardim com muitas flores, borboletas de várias cores, passarinhos a voar e a cantar, árvores cobertas de folhas brilhantes e um cheirinho bom a terra molhada.

Então, olhando para tudo, percebi o quanto a água é importante. Dela depende a natureza e a sobrevivência de todos os seres vivos.

Sem água, não havia vida e o planeta Terra era um imenso deserto triste e sem cor.

Um comentário:

  1. Muitos parabéns, João. Foi um lugar bem merecido!!!

    ResponderExcluir